Painel de notícias
 
Início
Tecnologia
Saúde
Negócios
Variedades
 
Contato
Indique
Incluir Notícia
Imagens em Destaque
Domingo, 21 de Abril de 2019
 

Qual a idade que se recomenda viajar com crianças? - 14/03/19

Indique - Contato - Compartilhar:


Qual a idade que se recomenda viajar com crianças?



Feriados prolongados... O telefone do consultório começa tocar, os e-mails e as mensagens do WhatsApp disparam... A dúvida das famílias é a mesma: “Qual a idade que se recomenda viajar com crianças?”. Essa é uma pergunta que acontece em várias épocas especiais do ano: Natal, Ano Novo, Páscoa e feriados prolongados. No Carnaval, não é diferente, né?

Minha resposta padrão:

“Por conta dos cuidados necessários, pela questão da vacinação, para estabelecer e manter uma rotina, pelas questões do transporte, da alimentação, da própria viagem, do meio de transporte, enfim, acho que uns 18 anos é uma idade boa. E isso porque não dá mais para evitar, né?”, afirma o pediatra e homeopata Moises Chencinski.

Agora falando sério...

Segundo o médico, há muitas questões a serem consideradas:

• Idade da criança;
• Tipo de alimentação (aleitamento materno, se já com, etc);
• Meio de transporte (avião, ônibus, carro ou outro);
• Distância e tempo de viagem;
• Época do ano (feriado, onde tem mais riscos de congestionamentos, ou pelo risco das chuvas);
• Onde vão ficar (acomodações, família).

“Mas, uma das que mais me preocupa, e que não costuma ser levada em conta nessa época, é a segurança”, diz o pediatra.

E poderíamos dividir essa questão em várias “sub-questões”:

• Transporte (no carro: a cadeirinha adequada, voltada para frente ou para o fundo do veículo dependendo das recomendações, sempre no banco de trás, nunca no colo, etc);
• Exposição solar (muito cuidado abaixo dos 6 meses, em que não se recomenda o uso de protetor solar e, se acima dos 6 meses, não esquecer de passar de acordo com as recomendações médicas, com cuidados nos horários de exposição);
• Uso de repelentes (para crianças acima de 6 meses) dependendo da região do país e da época do ano, pelos riscos de arboviroses (dengue, zika, chikungunya, febre amarela).

“Mas o que deve sempre direcionar a busca pelas viagens, como principal fator de segurança, é o acesso a serviço médico pediátrico confiável bem próximo. Se fosse possível, cada família deveria levar seu pediatra junto na viagem”, brinca o médico.

Aventuras só são legais quando acabam bem. E nem sempre existe total segurança, mesmo para quem tem muita experiência.

Pediatras costumam deixar seus contatos para que os pais os procurem em caso de necessidades. Mas, pela localização, nem sempre esse contato é viável (internet, sinal para celular, telefone). Vale lembrar que, mesmo sendo fundamentais para a saúde das crianças, pediatras também têm famílias e saem em férias e nem sempre podem ser (ou querem ser) localizados.

E isso, sem contar que, na imensa maioria das urgências ou emergências, ou mesmo em casos corriqueiros de febre, diarreia, vômito, tosse, manchas na pele, uma queda, um ferimento SEMPRE é fundamental que alguém examine a criança.

“Uma diarreia com vômitos, situação muito comum em viagens, pode rapidamente levar a um quadro de desidratação. E para isso é necessário um pediatra que examine a criança e um serviço médico que receba e trate adequadamente o quadro. Um corte na pele precisa ser suturado. Nem sempre, ou em bem poucos casos, é possível orientar algo, por WhatsApp ou por e-mail, que não seja: procure um pediatra ou um pronto atendimento infantil”, destaca Moises Chencinski.

Então a recomendação é não viajar?

“Dá sim pra viajar. Mas façam escolhas seguras. E procurem locais em que o atendimento médico pediátrico seja próximo e confiável”, orienta o pediatra.

Pergunta: Alguém de vocês que tem carro não faz seguro?
Mas, o que isso tem a ver com...

“Fazemos seguro do carro torcendo para não usar. E passamos anos pagando seguro de carro, sem usar. E bem pouca gente pensa em parar de pagar o seguro. Isso é segurança. Se nada acontecer, ótimo. Mas se acontecer, estamos preparados e não seremos pegos de surpresa. Pense nisso em sua próxima viagem com seus filhos. Viajamos para descansar, para passarmos mais tempo junto com nossos entes queridos e torcendo para nada acontecer. Mas, precisamos estar preparados para o que são os (nem sempre) imprevistos. Assim todos ficam tranquilos. Inclusive nós, os pediatras”, defende o médico.

CONTATO:
Site: http://www.drmoises.com.br
Fanpage: http://www.facebook.com/doutormoises.chencinski/

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO:
Márcia Wirth
MW-Consultoria de Comunicação & Marketing em Saúde
Site: http://www.marciawirth.com.br
E-mail: faleconosco@marciawirth.com.br
Telefone e Whatsapp: (11) 9 9394 3597










Indique esta notícia:
Seu nome

Seu e-mail

Nome indicado

E-mails dos indicados (separados por vírgulas)

Mensagem (opcional)

Reproduza na caixa de texto, o código anti-spam abaixo



  
Entre em Contato com o responsável pela notícia:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Reproduza na caixa de texto, o código anti-spam abaixo



  
Voltar
Envie arquivos
Agenda
Limeira
21/04/2019

Páscoa do Shopping Center Limeira terá sessão inclusiva de cinema e outras atrações
São Paulo
22/04/2019

A Eastman está preparada para uma forte presença na Feiplastic 2019
São Paulo
23/04/2019

“Retratos em Bossa & Jazz”, de Mafalda Minnozzi, invade o Bourbon Street
Curitiba
23/04/2019

Curitiba recebe Road Show gratuito da Danfoss
São Paulo
25/04/2019

ZEISS Brasil realiza webinar para demonstração de raio-x industrial
Ribeirão Preto
05/05/2019

Boi e Porco no Rolete: Vem ai a 14ª edição
São Paulo
07/05/2019

Universidade do Livro abre nova turma de Preparação e revisão de texto
São Paulo
17/06/2019

Amázzoni Gin confirma presença no evento BCB São Paulo
Rio Verde
20/06/2019

Operação Carcará - Airsoft - Apoio Alvo Esportes
Porto Alegre
20/09/2019

74º Congresso Brasileiro de Cardiologia: inscrições com descontos de até 30%

Copyright © 2008 JORNOW. Todos os direitos reservados